sábado, março 12, 2005

Lamy ré dó

"Tenho cara de miúdo mas de carros percebo eu". Com aquele ar de "queijinho-fresco", menino de coro atinado e acólito de missa vespertina, quase me fez acreditar que um dia teríamos um campeão nacional de grand prix. Nunca ganhou nada, essa é a verdade, mas manteve sempre aquele ar de "homenzinho", esforçado, coerente, de profissional dedicado. Lembrem-se da preparatória. Independentemente da escola onde andássemos, havia sempre o "gordo", o "caixa de óculos", o "canina", o "fuas" e o "atinadinho". Se tivesse de encaixar o Lamy num destes perfis, não hesitaria. Seria no último.

Depois de ter andado algum tempo arredado do mediatismo nacional, foi com grande regozijo que descobri no centerfold da revista do EXPRESSO uma reportagem sobre esse "grande" menino. Entre uma breve introdução à sua carreira e uma carrada de fotos - o "Pedrinho" no kart, o "Pedrinho" no F1, o "Pedrinho" em Vilamoura, o "Pedrinho" com o mano, o "Pedrinho" a dar banho ao sobrinho, o "Pedrinho" com a bandeira das quinas sobre os ombros - lia-se o "Pedrinho" a falar da família: "Só tenho olhos para a minha mulher. Amo-a e aos meus filhos mais que tudo neste mundo. Por eles daria a minha vida". Quase chorei, com tanta ternura, porque já não são assim muitos os gringos que nos dias que correm falam nestes termos. Ver isto numa "Caras" ou numa "VIP" ainda é naquela, porque a verdade pode parecer sacrilégio. Mas no EXPRESSO, tem de ser para acreditar...

Bem, lá continuei a leitura e foi de facto bom saber que os anos passam pelo "Pedrinho" e que ele continua aquele tipo certinho.

Continuando a estória: dois ou três dias depois fui levado a um desses bares "alternativos", onde por 15€ bebemos um Ballantine's 21 anos envelhecido em cascalho e vemos de tudo, do bom ao mau, da portuguesa que sonhava um dia ser Miss "Praia da Rocha" à lituana que ficou com o mestrado de "matemáticas aplicadas" a meio. Aqui vemos mesmo de tudo! Eram 2h da manhã e vejo um "caga tacos" a entrar neste belo anfiteatro, com dois empresários-capanga que quase em desespero coçavam o tomatal "enchatecido". Eu não podia acreditar: era o "Pedrinho"! Por momentos pensei: "bem, ele é um gajo certinho, está contra esta coisa da economia paralela e da exploração "animal" que é o trabalho precário e puxou dos galões, chamou as autoridades e veio fechar esta espelunca!" Mas não...dois minutos depois já estava "agrafado" a duas brasileiras, mão na bunda e "vamos embora, que lá vem alho"!

O último sítio onde poderia alguma vez imaginar encontrar o "Pedrinho" seria num bas-fond de gosto duvidoso, com garrafa da casa e free-pass para os camarins. "Só tenho olhos para a minha mulher. Amo-a e aos meus filhos mais que tudo neste mundo. Por eles daria a minha vida". Esta frase ia tilintando na minha cabeça, enquanto via o "Pedrinho" em mais uma acrobacia, entre a chicane de uma table dance e a pit stop de duas nordestinas...

Entre aquele pitéu viciado do fumo de charuto e do Bulgari que empestava as bailarinas, meus amigos, cheira a podre...

6 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Oh RP, sabia que escrevias bem, mas se algum dia chegar a editor de jornal, a coluna semanal na 1ª página é tua pá...
Independentemente do Lamy ter sido catado numa investida nocturna (foi pa afogar as mágoas do GP que nunca ganhou...) o texto tá muito fixe... continua míudo que vamos animar isto...
Akele abraço,
Ren

9:13 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

"Intelligente Pauca..."
(Ao inteligente, poucas palavras bastam...) / By Carla Castro
-----------------------------------

O grande valor do Homem, não está no que pode comprar, no que pode mostrar, mas no que consegue Ser...

Tu Rui, vingaste, pela forma mais simples, bonita e artisticamente inteligente: pela soma das letras, na interpretação e no bom uso das palavras.

Não basta coleccionar ideias, destacar histórias. É preciso ter talento para transmitir realidades, gostos, paixões... Vidas de que não se vive, apenas se sabe ou vê.

Chama-te a isto: Arte. Arte de originalidade, arte de falar, arte de escrever, arte de mencionar factos ou eventos... Com a necessária credibilidade, isenção e profissionalismo. Conseguiste.

Conheço-te pouco... Mas posso orgulhar-me de que o pouco, é de facto bom.

Parabéns.

Aguardarei mais blogs... Mas acima de tudo, esperarei mais notícias tuas, ou pelo menos por ti contadas.

Por uma notícia diferente.
Pela criatividade e pelo bom gosto.


Calitas.

1:46 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Antes de mais, devo felicitar o ilustre autor do presente texto pela forma subtil e tão elegante como directa que abordou o tema em questão. O título do blog, apesar de pouco ortodoxo, retrata a realidade tal qual, emergindo a verdade nua e crua. Sugiro a todos os leitores que leiam este texto não como mais um simples escândalo de mais uma personagem do panorama nacional, mas sim analisando comportamentos e pondo a mão na consciência. Será que é um comportamento de louvar? Ou será que não se deve julgar este tipo de comportamentos pois é prática habitual nos dias que correm? Respostas mil existirão... Mais de mil serão certamente as mulheres que se encontram directamente e inconscientemente envolvidas neste tipo de situações. Não sou defensor de qualquer tipo de movimento feminista mas, será que a mulher merece isto?! Melhor... Será que o ser humano merece isto?! Pois esta mensagem é dirigida ao público em geral e sem qualquer tipo de discriminação sexual... Erros, a meu ver, desta natureza, ocorrem em ambas as bancadas sexuais e assumem as mais diversas formas. Homens... Vamos fazer um pequeno jogo de raciocínio... Vamos tentar inverter papéis! Vejam-se neste momento envolvidos numa situação semelhante e analisem todo o tipo de sensações/incómodo emocional que isto proporciona! Não pretendo, de todo, ser maçudo com a minha opinião mas, para concluir, deixo a seguinte frase:
- RESPEITEM AS MULHERES ENQUANTO SER HUMANO E, SENDO COERENTES, DIGNIFIQUEM AINDA MAIS AQUELAS QUE UM DIA JÁ DISSERAM QUE AMARAM...
PS: Acredito veemente que existem inúmeros conceitos de amar mas, acredito que cada um, à sua maneira, já amou e, como tal, todos terão opinião e uma mão para pôr na consciência.

Ass: JG

8:09 da manhã  
Anonymous wong said...

e mais e mais?

6:03 da tarde  
Blogger João Loff said...

Muito bom! Deixa-me dizer que estou a gostar deste blog...

3:21 da tarde  
Blogger Sininho said...

No inicio deste post achei k o Lamy era de facto certo demais para os tempos k correm.... mas as minhas dúvidas de leitura inicial ficaram esclarecidas no final... Parabéns pelo belo relato

12:09 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home